Viagem pela Europa
Viagem pela Europa
Viagem pela Europa
Viagem pela Europa
Viagem pela Europa

English

Ushuaia - Uma Viagem de Superlativos

Como fazemos em todas as férias anuais, normalmente em Abril, planejamos e tentamos consolidar uma grande viagem de moto, uma das coisas que mais gostamos de fazer.

Parque Nacional Tierra Del Fuego Parque Nacional Tierra Del Fuego

Em abril de 2002, viajamos até Machu-Picchu e Deserto de Atacama, via Acre, totalizando 10.000 km, a qual me motivou, a posteriori, a publicar o livro "Saindo do Lugar Comum".

Para abril de 2003, planejamos viajar até Ushuaia, via Carretera Austral, com a mesma moto da viagem anterior, uma Honda Sahara, cujo trajeto totalizaria cerca de 13.000 km, permitindo apreciar a magnífica paisagem da Patagônia, visitar parques nacionais como o Glaciar Perito Moreno, Torres Del Paine e Bahia Lapataia, cruzar o Estreito de Magalhães, e rever a região dos lagos no Chile e os vulcões Villarica e Osorno, além da Cordilheira dos Andes em diversos pontos.

Logomarca para o Projeto Logomarca para o Projeto

Considerando esse planejamento, faríamos aproximadamente 10.500 km por estradas pavimentadas e cerca de 2.500 km por estradas de rípio (recobertas por pedriscos redondos, que variam do tamanho de uma bola de gude ao de uma bola de tênis). Além desse tipo de dificuldade (estradas de rípio), na Patagônia enfrentaríamos fortes ventos, bruscas variações climáticas e poucas condições de abastecimento.

Como é natural, o primeiro planejamento de uma viagem normalmente vai além do permitido. Após a primeira revisão, optamos por não refazer caminhos já percorridos, no caso, ir por Santiago, ou seja, deixaríamos de rever a Região dos Lagos, porém reduziríamos a distância em cerca de 2.500 km.

Passada a fase do projeto, partimos para a execução propriamente dita, iniciando a viagem exatamente no dia 5 de Abril em direção a São Borja (RS), onde cruzaríamos a fronteira Brasil - Argentina. Nessa localidade, optamos por cruzar a fronteira mais ao Sul, na cidade de Uruguaiana.

Até aí tudo bem, exceto o fato de que na Argentina, na região fronteiriça, é comum a Policia Camiñera incomodar os motociclistas brasileiros. Isso já é uma tradição. Busca-se "n" alternativas para tirar nossa "grana". Dessa feita, não foi diferente, mesmo com o Seguro Carta Verde e documentação em ordem, nos exigiram "mata-fuego" (extintor). Como não estávamos com muita paciência para negociar o valor da multa, resolvemos pagar o equivalente a R$ 100 e seguir adiante. Evidentemente, não fosse o "mata-fuego" (que a Legislação de Trânsito Argentina não exige), seria o estojo de primeiros socorros e assim por diante.

Logo após a fronteira resolvemos inverter o trajeto programado, seguindo ao Sul do Continente pela costa, retornando pela Ruta 40 (Argentina) e Carretera Austral (Chile). Essa opção motivou-se pelo fato de que chegar à Terra do Fogo era uma prioridade e a Ruta 3 (costa), quase que totalmente pavimentada, oferece menos riscos. Posteriormente, pudemos comprovar que foi uma decisão plenamente acertada.

Após Buenos Aires, na cidade de Azul, fizemos questão de visitar "La Posta Del Viajero En Moto", espécie de albergue mantido pelo Jorge, muito estimado pelos motociclistas viajantes de todo o mundo. O local oferece condições de acomodação sem custo, além de permitir apreciar o registro daqueles que por ali passaram.

Apesar do frio intenso para o outono, após 5.200 km estávamos em Ushuaia, um local de rara beleza, onde o sol (nessa época) surge às 08h30min e se esconde às 17h30min, dando um colorido especial à cidade refletida no Canal de Beagle, com seus picos nevados ao fundo.

A partir de Ushuaia, fizemos uma visita às pequenas ilhas do Canal de Beagle, repletas de lobos marinhos, pingüins e aves de diversas espécies.

Ushuaia - vista geral a partir do canal de Beagle Ushuaia - vista geral a partir do canal de Beagle Ushuaia - lobos marinhos Ushuaia - lobos marinhos

A Bahia Lapataia, distante apenas 30 km de Ushuaia é algo sem igual. Águas tranquilas, belos picos nevados da Cordilheira, caminhos por entre a vegetação típica em tons amarelados, afinal, um verdadeiro paraíso!

Parque Nacional - Lourdes numa foto clássica Parque Nacional - Lourdes numa foto clássica

Após conhecer as belezas de Ushuaia e suas cercanias, iniciamos o caminho de volta. Após a localidade de San Sebastian, fronteira Argentina - Chile, seguimos rumo a Punta Arenas e Puerto Natales para, a partir daí, cruzar novamente a fronteira Chile - Argentina e iniciar a temível Ruta 40 com mais de 700 km em péssimas condições. Enfrentar essa estrada era um desafio, porém a neve não o permitiu. Entre Três Lagos e Bajo Caracoles, quando já estávamos na metade do seu trajeto (400 km), a estrada ficou lisa como sabão e, após 3 tombos, onde danificamos seriamente a carenagem da valente Sahara, rasgando nossas roupas de couro e sofrendo pequenas escoriações, tivemos que interromper a viagem. Para nossa sorte conseguimos carona, inclusive para a moto, retornando para El Chalten, onde deixamos a moto para ser enviada por uma transportadora, pegamos ônibus até El Calafate e sucessivamente outro para Rio Gallegos, de onde seguimos, via aérea, até Buenos Aires.

Aspecto da lama (argila) Aspecto da lama (argila) Moto sendo transportada após a terceira queda Moto sendo transportada após a terceira queda

Foram 20 dias viajando, enfrentando muito frio e muito vento, porém tudo compensado pelas belas imagens da Patagônia. Fizemos mais de 7.000 km, quase 1.000 em estradas de rípio (cascalho). Dessa forma, apenas o trajeto da Carretera Austral (no Chile) efetivamente não se concretizou. Entretanto, 80% do trajeto planejado foi realizado e mais de 80% daquilo que realmente interessava foi visto. Dessa forma, ficou evidentemente acertada nossa decisão de seguir pela Costa e retornar pelo lado da Cordilheira, pois se houvéssemos enfrentado neve na ida, dificilmente chegaríamos ao objetivo final: Ushuaia. De fato, viajar no outono para uma região tão inóspita, com temperaturas que chegam aos 0º centígrados ou menos, não é adequado. Porém a paisagem nessa época é ainda mais deslumbrante. Cruzar o Estreito de Magalhães, visitar cidades como Punta Arenas (Chile) ou El Calafate (Argentina) e visitar o Glaciar Perito Moreno, com suas geleiras de mais de 60 metros de altura.

Moto sendo abastecida Moto sendo abastecida Glaciar Perito Moreno Glaciar Perito Moreno